quarta-feira, 10 de maio de 2017

"Gênero e Feminismo" é tema em Cachoeira


" Maio da Diversidade" na Secretaria de Educação


"Transgeneridade nos Religiões" é tema em Salvador



Homofobia é tema marcha de protesto em Salvador


O movimento LGBT Baiano organizado em diversas entidades, grupos, coletivos que lutam pelo respeito a nossa cidadania, por mais direitos e politicas publicas para nos LGBT. Pois estamos cansadas e indignadas em perder nossos parceiros, companheiros de luta, a exemplo da Samayelle, de Téu e de tantos muitos vitimados pela LGBTfobia, pelo sexismo, machismo, pela negligência do poder público.

Estamos nos aproximando do dia internacional do combate a LGBTFOBIA, 17 de maio, dia que conquistamos há 27 anos atrás com a saída da homossexualidade do CID da Organização Mundial da Saúde. Porém mesmo não sendo mais tratados como doentes, de lá pra cá não deixamos de sermos vitimas do ódio por nossa orientação sexual e de identidade de gênero. 

Por isso, conclamo a todos que construamos o ato VIDAS LGBTs IMPORTAM, no dia 11/05 quinta-feira, as 8h, na Secretária de Segurança Pública, na 4 avenida, próximo a Embasa, partiremos de lá em marcha até a Governadoria, passando pela ALBA, exigindo do poder público respostas que solucionem e nos permitam ter direito à vida.

Precisamos exigir dos responsáveis pelo Estado soluções para que nossas vidas deixem de ser levadas por tanto ódio!

"Bembé do Mercado" completa 128 anos


"Ovulário" discute direito e gênero em Salvador


Escravas ou Libertas ?!


Por Yalorixá Diana de Oxum 

Difícil responder a este questionamento em meu coração nos últimos tempos. O sangue das negras, tão abundantemente derramado nas fazendas, casarões e fundos de pontos comerciais no século passado, continua a ser derramado sobre nossas cabeças e nada se faz ou diz a não ser campanhas publicitárias com mensagens de denúncias que , nós mulheres negras ou brancas , sabemos que daquela mensagem na Tv, não avançará . Somos o tema eterno para gerar ibope e visibilidade a políticos e a emissoras de TV e Rádio que nada fazem a não ser divulgar a nossa morte . Falo nossa morte, pois somos nós, mulheres negras em sua maioria, que estamos morrendo. Aplaudimos as chicotadas no rádio e na tv enquanto tomamos no café da manhã , almoçamos e jantamos a noite . Estamos brincando de “ faz de conta de política pública” e estamos falando para nós mesmas em ambientes fechados enquanto nossas amigas mulheres , independente de religião , estão morrendo ou sendo violentadas na mente ou no corpo a cada segundo . Cadê as promessas de melhorias nas DEAMs ?! Cadê as equipes especializadas de em tratar estas vítimas de violência a cada segundo em Salvador ?! Cadê as nossas mulheres da política que foram empoderadas e receberam o nosso voto para fazer a diferença no cenário político atual ?! Onde nós estamos ?! Fomos “ engavetadas no esquecimento” como se fossemos uma pilha de papel com manuscritos sem serventia . Esquecidas. Somos propostas para votos em 2018, só isso?!
Oxum acolha as almas de todas estas mulheres mortas,sofridas e violentadas diariamente .O silêncio do poder público é uma violência também .